IBGE lança na Alerj o Censo Agropecuário 2017

29/09/2017|

Sessão de lançamento do Censo Agro no Plenário da Alerj. Foto: Divulgação

 

A partir de outubro, os recenseadores do IBGE começam a percorrer todas as propriedades rurais para traçar um retrato do campo no país. Estima-se que mais de cinco milhões de estabelecimentos sejam visitados para compor o Censo Agropecuário 2017, que irá coletar informações que servirão de base para estatísticas oficiais.

Os dados serão utilizados na elaboração de políticas públicas e investimentos voltados ao setor, responsável por cerca de 25% das riquezas do Brasil. O lançamento do 11º Censo Agro no estado, organizado pelo IBGE em parceria com o Fórum de Desenvolvimento do Rio, aconteceu nesta quinta (28/9), no Plenário da Alerj.

Na abertura, o deputado Paulo Melo (PMDB) destacou o ingresso do IBGE como membro do Fórum, ressaltando o estreitamento dos laços entre as instituições. “O acesso aos dados de forma sistemática irá contribuir para a construção de diagnósticos mais precisos sobre as atividades econômicas das zonas rurais fluminenses”, disse o parlamentar.

Apenas no estado do Rio de Janeiro, cerca de 60 mil estabelecimentos farão parte do principal e mais completo levantamento de dados sobre a produção agropecuária, florestal e aquícola brasileira. Serão coletadas informações sobre a produção, utilização de pessoal e mão de obra; caracterização do produtor; distribuição e uso de terras, entre outros. O período de realização da pesquisa vai de 1º de outubro de 2017 a 28 de fevereiro de 2018. A divulgação dos resultados preliminares está prevista para julho de 2018.

“O Censo Agro 2017 precisa do apoio de todos na disseminação da informação e na missão de mapear e retratar as atividades agrícolas nacionais. O sucesso da pesquisa depende também do apoio dos órgãos parceiros para o fortalecimento das relações institucionais que contribuem de forma crucial para que o seu alcance seja o maior possível, sem deixar nenhum estabelecimento de fora”, afirmou Euclides Ferreira Dias Neto, chefe da Unidade Estadual do IBGE no Rio de Janeiro, que conta com 25 agências em todo o estado.

Durante o evento, Alberto Azemiro, coordenador do Censo no estado, apresentou a metodologia de levantamento de dados e falou sobre importância da participação dos municípios no processo de coleta dos dados. “No último Censo Agro de 2007, foram detectados dois milhões de hectares em área total de estabelecimentos agrícolas no estado do Rio de Janeiro, sendo que 70% deles se concentram nas regiões Norte, Noroeste e Serrana. Campos dos Goytacazes é o município com o maior número de estabelecimentos”, explicou Azemiro.

Para dar suporte às ações realizadas, cada cidade do país está sendo convidada e implementar a sua Comissão Municipal de Geografia e Estatística (CMGE), presidida por um membro do IBGE, e com a participação de representantes de todos os poderes e a sociedade civil. O objetivo é colaborar com as equipes de recenseadores, além de conscientizar a população do campo sobre a importância da qualidade dos dados fornecidos. Caberá também às CMGEs validar os resultados antes da sua divulgação.

“O Censo irá nos permitir verificar se os resultados das políticas públicas estão sendo efetivamente alcançados. Para retratar o estado de forma mais fiel possível, os técnicos da Emater estão contribuindo com o processo, e trabalhando em parceria com as CMGEs. Estamos todos engajados nessa oportunidade única para o estado”, afirmou Ricardo Mansur, diretor-técnico da Emater-Rio, representante do secretário de estado de Agricultura.

Outra novidade é que Censo 2017 será completamente digital, facilitando o processamento, a análise e a divulgação.

“Esperamos que os resultados do Censo nos apontem caminhos. As políticas públicas de fomento ao campo são essenciais para o desenvolvimento regional. Esperamos que o recenseamento seja inclusivo e que nos ajude a fazer com o que o Rio de Janeiro seja reconhecido como um estado com agricultura forte”, disse Marcos Diaz, presidente do Sindicato e Organização das Cooperativas do Estado do Rio de Janeiro (OCB/RJ).

O evento de lançamento do Censo reuniu mais de 180 pessoas no Plenário da Alerj, a maioria de técnicos do IBGE que vão ao campo realizar a pesquisa. “É muito importante que a sociedade participe e divulgue o Censo para que os produtores, principalmente os pequenos, estejam informados sobre a visita dos recenseadores do IBGE”, finalizou o deputado João Peixoto (PSC), presidente da Comissão de Agricultura Pecuária e Políticas Rural Agraria e Pesqueira da Alerj.

> Assista aqui ao vídeo sobre o Censo Agro 2017.

> Acesse aqui a apresentação do IBGE.

 

 

Fonte: Fórum de Desenvolvimento da Alerj