Edição 715 d’A Lavoura destaca ‘Mirtilo: azul com sabor de uva’

09/01/2018|

Mirtilo ou blueberry foi a primeira a receber a denominação de “superfruta”. Foto: Divulgação A Lavoura – Edição nº 715/2016

O termo mercadológico “superfrutas” foi lançado em 2004 e o primeiro fruto a ganhar esse título foi o mirtilo (blueberry). Excelente fonte de flavonoides, com destaque para as antocianinas, que lhe conferem a cor típica azulada, o mirtilo tem pigmentos com alto poder antioxidante e efetivos no combate aos radicais livres destrutivos, que se formam no corpo humano, ajudando a
prevenir doenças cardiovasculares e até câncer.

“A exemplo de algumas superfrutas, novos estudos são necessários para melhorar o conhecimento dos mecanismos de atuação dos componentes antioxidantes desta superfruta, em nosso organismo”, pondera o (então) presidente do Instituto Brasileiro de Frutas (Ibraf ), Moacyr Saraiva Fernandes, em entrevista à edição nº 715 da Revista A Lavoura, no ano de 2016.

Também conhecido como “uva-do-monte”, por causa do sabor parecido com o da uva, o mirtilo (Vaccinium SP.) é originário da América do Norte — Estados Unidos e Canadá — onde é conhecido como blueberry. Recentemente, estudiosos da Universidade de Cincinnati (EUA) afirmaram que ele também pode reduzir os efeitos do Mal de Alzheimer.

Líder da pesquisa, Robert Kridorian aponta as mudanças no comportamento de 47 adultos, a partir dos 68 anos, que participaram do experimento. Estas pessoas receberam pó de mirtilo ou placebo.

“Houve melhoria no desempenho cognitivo e função cerebral naqueles que tomaram o pó de mirtilo, em comparação àqueles que ingeriram o placebo. O grupo dos que consumiram o pó de mirtilo demonstrou melhoria da memória e melhor acesso a palavras e conceitos”, afirma o especialista norte-americano.

A ESPÉCIE

Assim como outras dez ameixa, amora-preta, caqui, framboesa, kiwi, maçã, morango, pera, pêssego e uva , o mirtilo é uma fruta de clima temperado, daí seu cultivo ter mais sucesso em regiões como o Rio Grande do Sul, informa a Embrapa Clima Temperado (RS).

Trata-se de uma espécie arbustiva ou rasteira e caducifólia, com 1,5 a três metros de altura, e exigente em frio para quebra da dormência. Produz em ramos, em grupamentos de frutos que amadurecem de forma irregular. Por isto, há a necessidade de se fazer várias colheitas seletivas para retirar somente a parte madura.

Segundo a unidade da estatal, pioneira na introdução desta cultura no País, o mirtilo apresenta alta rentabilidade, por ser uma espécie de fácil adaptação à exploração em pequenas propriedades rurais.

Por causa do baixo emprego de insumos para sua produção, ele se encaixa perfeitamente nos preceitos da produção limpa e orgânica, preservando o meio ambiente e oferecendo segurança alimentar.

Outro aspecto importante desSa pequena fruta diz respeito às propriedades nutracêuticas, já mencionadas. Agora, a Embrapa Clima Temperado vem realizando pesquisas de melhoramento genético e práticas culturais do mirtilo.

DESTAQUES

Continue lendo, gratuitamente, a reportagem completa sobre o mirtilo, nas páginas 49 a 51 da edição nº 715/2016 da Revista A Lavoura. Confira outros destaques clicando aqui!

Assine e receba nossas versões impressas exclusivas para assinantes, enviando um e-mail para assinealavoura@sna.agr.br.

Para ler as edições anteriores, de graça (exceto as três últimas), visite o site da Sociedade Nacional de Agricultura em www.sna.agr.br/publicacoes/a-lavoura.

Fonte: A Lavoura – Edição nº 715/2016

Compartilhe nas redes sociais!