Indicadores Cepea: café e algodão

Café: média do indicador de arábica é a maior em um ano

Os preços do café arábica subiram ao longo de abril no mercado doméstico, segundo dados do Centro de Estudos Avançados em Economia Aplicada (Cepea). O movimento esteve atrelado à alta dos contratos futuros da variedade e à menor oferta do grão no físico.

No mês, o Indicador Cepea/Esalq do arábica tipo 6, posto na capital paulista, teve média de R$ 744,13/saca de 60 kg, com alta de 1,70% em relação à de março – a maior desde abril do ano passado, em termos reais (valores deflacionados pelo IGP-DI de março de 2021).

Segundo pesquisadores do Cepea, a alta dos preços, por sua vez, atraiu vendedores para o mercado nacional, que realizaram alguns negócios. No entanto, as transações no mercado físico ainda foram limitadas em abril, devido ao volume significativo da safra de 2020/21 já comercializado no Brasil.

 

Algodão: com vendedor firme, indicador segue em alta

As cotações do algodão em pluma continuam em alta, segundo dados do Cepea, devido à posição firme de vendedores.

Entre os dias 31 de março e 30 de abril, o Indicador Cepea/Esalq registrou aumento de 7,52% e, nos últimos sete dias (de 27 de abril a 4 de maio), de 0,63%, fechando a R$ 5,2232/lp nessa terça-feira (4/5), pouco abaixo do recorde nominal registrado em 4 de março deste ano (de R$ 5,2251/lp).

Bons volumes das temporadas 2019/20 e 2020/21 já foram comercializados, e a expectativa é de uma redução na oferta da safra atual (2020/21).

Tradings passaram a ficar mais ativas no comércio nacional, pedindo preços inferiores aos de produtores, diante da menor atratividade da exportação. Mesmo com o dólar em alto patamar, as vendas internas de algodão em pluma vêm remunerando mais que as externas.

 

Cepea

Facebook
Twitter
LinkedIn
WhatsApp