Revista A Lavoura destaca relatório ‘Medicamentos na pecuária de leite: manejo, cuidados e boas práticas’

13/09/2017|

Acompanhar quais medicamentos foram aplicados, em quais animais e o período de carência é importante para o bem-estar do rebanho e a sanidade animal e, posteriormente, para o consumo humano. Foto: Divulgação

A aplicação de medicamentos nas propriedades rurais não é algo trivial e requer bastante atenção. Acompanhar quais medicamentos foram aplicados, em quais animais e o período de carência é importante tanto para o bem-estar do rebanho quanto para as questões ligadas à sanidade, que posteriormente impactam na disponibilização dos produtos para o consumo humano.

No relatório “Medicamentos na pecuária de leite: manejo, cuidados e boas práticas”, produzido pelo Serviço de Inteligência Setorial (SIS) do Serviço de Apoio a Micro e Pequenas Empresas, é possível obter informações importantes e melhores práticas no uso de medicamentos na pecuária leiteira.

TOME CUIDADO PARA MEDICAMENTO NÃO SE TORNAR UM VILÃO!

A saúde de um animal está diretamente relacionada ao seu bem-estar. Quando há menor incidência de doenças, ferimento ou dor, os resultados na produtividade são melhores.

Para diminuir a ocorrência de doenças e assegurar melhores condições de saúde, bem-estar e produtividade do rebanho, muitas vezes é necessário recorrer aos medicamentos. No entanto, da mesma forma que as medicações são aliadas na recuperação e no vigor dos animais, se utilizadas de forma inexata e sem acompanhamento, podem trazer sérios prejuízos para a produção.

Fonte: SIS/Sebrae

Outro fator relacionado aos medicamentos é a conservação. Os medicamentos precisam ser guardados em ambientes fechados, livres de pragas e com temperatura adequada. Tais cuidados evitam prejuízos com a deterioração dos medicamentos.

Fonte: SIS/Sebrae

OBSERVAÇÃO LEGAL: PERÍODO DE CARÊNCIA PARA CONSUMO HUMANO DOS ALIMENTOS BOVINOS

Existe um período de carência, que é o intervalo de tempo necessário entre a última aplicação do produto e a data mínima para que os produtos oriundos desse bovino estejam disponíveis para consumo ou comercialização.

O período de carência pode variar desde horas até dias ou meses, dependendo do produto, da formulação e da forma de aplicação. O não cumprimento da carência traz prejuízos à saúde do consumidor, que ingere o alimento com resíduos dos medicamentos.

O Programa Nacional do Controle de Resíduos e Contaminantes, do Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (Mapa), é responsável por fiscalizar e monitorar os riscos provenientes dos resíduos. Em Santa Catarina, a Companhia Integrada de Desenvolvimento Agrícola de Santa Catarina (Cidasc) desenvolve ações de segurança em favor dos alimentos e no combate das substâncias contaminantes.

CUIDADOS NECESSÁRIOS

O uso de medicamentos na pecuária de leite tem inúmeras finalidades. Por exemplo, o tratamento de micoses, diarreias, controle de carrapatos, verminoses, mastite ou até mesmo auxílio no período de gestação das vacas, no parto, na reprodução, entre outros. Tudo isso além das vacinas, que são aplicadas na prevenção e na erradicação de inúmeras doenças.

Mesmo com o acompanhamento do veterinário, é importante que o produtor rural tenha conhecimento dos procedimentos e cuidados necessários com medicamentos e vacinas. O SIS/Sebrae lista abaixo informações importantes para facilitar o entendimento no uso de medicamentos no rebanho.

PROCEDIMENTOS GERAIS: LEITURA DA BULA

As informações sobre dosagem, período pelo qual o animal deve permanecer sendo medicado, via a ser aplicado o medicamento (intramuscular, subcutânea, intramamária, oral, intradérmica, intravenosa etc.) e reações que podem aparecer com o uso das substâncias estarão descritas na bula.

Mesmo com orientação do médico veterinário, é importante que o produtor leia com atenção essas informações, para ter conhecimento sobre a utilização do medicamento e quais danos ele pode causar caso seja utilizado de maneira incorreta.

Fonte: SIS/Sebrae

CUIDADO ESPECIAL

As vacinas também precisam de cuidado especial e devem ter acompanhamento de um veterinário. Geralmente, são aplicadas conforme um calendário com prazos bem definidos, por isso, o controle é fundamental para obter o resultado esperado.

Outro fator importante para melhorar o desempenho das vacinas é o cuidado com o bem-estar do rebanho. Por essa razão, ter pessoas capacitadas, com práticas de manejo para evitar o estresse dos animais, é imprescindível.

Quer saber mais sobre vacinas? A Fundação de Apoio à Pesquisa, Ensino e Extensão (Funep) elaborou um manual com recomendações e boas práticas de vacinação para bovinos leiteiros. Interessou-se pelas boas práticas para evitar o estresse dos animais? Acesse o conteúdo sobre Doma Racional na Pecuária de Leite.

PONTO DE ATENÇÃO

As práticas relacionadas à higiene, segurança do trabalho e proteção ao meio ambiente também são fundamentais no trato com medicamentos. Por isso, esteja atento ao condicionamento e ao descarte de embalagens e restos de substâncias.

Procure estabelecimentos responsáveis por fazer a coleta e não se esqueça dos equipamentos necessários para a aplicação de medicamentos, como luvas, botas, viseiras etc. Saiba mais no relatório produzido pelo Sistema de Inteligência Setorial do Sebrae.

MELHORES PRÁTICAS

As falhas durante o manejo dos medicamentos podem ocasionar consequências negativas no rebanho, como estresse e dor, risco de acidente de trabalho, reações e lesões inesperadas. Quer obter melhores resultados com os medicamentos?

A Viva Lácteos elaborou a cartilha do uso responsável de medicamentos veterinários na produção leiteira. O SIS/Sebrae destaca abaixo algumas dessas práticas:

Fonte: SIS/Sebrae

BUSQUE SEMPRE:

* Tratá-los com respeito e dignidade;

* Consultar um médico veterinário sobre a necessidade de uso de medicamentos e vacinas;

* Adquirir produtos registrados no Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (Mapa), de revendedores e/ou cooperativas credenciadas;

* Utilizar apenas produtos dentro do prazo de validade e obedecer ao prazo de carência recomendado na bula para abate ou distribuição do leite. Se tiver dúvidas, entre em contato com o fornecedor (geralmente, o número consta na embalagem do produto). O Mapa (produtosveterinários@agricultura.gov.br) ou um veterinário também podem ser consultados;

* Não fazer uso dos medicamentos em animais de espécies diferentes daquelas que estão registradas na bula;

* Obedecer também às restrições e finalidades a que se destinam o medicamento;

* Não fazer formulações “caseiras”, como diluir ou misturar o produto em outras substâncias para economizar custos ou aumentar a eficácia;

* Utilizar produtos combinados apenas sob orientação de um veterinário;

* Não utilizar produtos advindos de estabelecimentos sem as licenças da Coordenação de Fiscalização de Produtos Veterinários (CPV) e do Departamento de Fiscalização de Insumos Pecuários (DFIP);

* Treinar os trabalhadores sobre os cuidados com medicamentos e boas práticas.

FERRAMENTAS PARA APOIAR NO CONTROLE DE MEDICAMENTOS

O registro de informações é fundamental no uso de medicamentos, visto que é necessário anotar dados como início do tratamento, período de carência, dosagens aplicadas, reaplicações, assim como reações adversas, indícios de melhoria e ocorrência de novos focos de doenças no rebanho.

Somente com o acompanhamento é possível analisar e tomar decisões para cancelar ou intensificar o tratamento com medicamentos. Tais informações são fundamentais para implementar ações buscando a melhoria dos índices zootécnicos dos animais com meta para curto, médio e longo prazos.

Para facilitar esse controle, o SIS/Sebrae listas alguns aplicativos que tornam o procedimento de acompanhamento mais ágil:

* VetSmart – Funciona como um receituário inteligente. São disponibilizadas bulas de medicamentos e vacinas, recomendações para aplicação e frequência de uso do produto. Possibilita ter, com exatidão, a dosagem indicada de cada medicamento, conforme o peso do animal. Mais informações em www.vetsmart.com.br.

* BovControl – Aplicativo que permite mais controle do pecuarista sobre o seu rebanho. Coleta dados de forma rápida e apresenta na forma de um painel. Com ele, é possível organizar um calendário para uso dos medicamentos. Para fazer o download gratuito do app, acesse Google Play.

* Roda da Produção – Aplicativo desenvolvido pela Embrapa. Exibe, em meio digital, o quadro físico para acompanhar os ciclos de reprodução do rebanho. Isso considera o controle de todas as informações relacionadas aos animais, como entrada no cio, coberturas, partos e uso de medicamentos. Para baixar o app, acesse Google Play.

* 4Milk – Aplicativo para gerenciar e controlar o rebanho. Entre os benefícios está a melhora dos indicadores zootécnicos. Para mais informações, acesse o site www.4milk.com.br.

Para ter acesso gratuito e completo ao relatório “Medicamentos na pecuária de leite: manejo, cuidados e boas práticas”, elaborado pelo SIS/Sebrae, é necessário se cadastrar no website da instituição, antes de fazer o download do documento: ow.ly/5r6E30f7T9s (link encurtado).

Fonte: SIS/Sebrae com edição d’A Lavoura