Quanto mais cedo, melhor o manejo

Publicado em 15/03/2017

Diagnóstico precoce de gestação em bovinos diminui prejuízos ao produtor. Foto: Divulgação

O diagnóstico de gestação é parte importante do manejo reprodutivo e deve ser feito o mais precocemente possível. Com o auxilio da ultrassonografia, o diagnóstico pode ser feito 30 dias depois do término da estação de monta. Se for por palpação retal, deve ser realizado 45 dias após a estação. A pesquisadora da Embrapa Gado de Corte Alessandra Nicacio explica que quanto mais precoce for feito o diagnóstico, mais cedo o produtor pode decidir o que fazer com o animal: manter ou descartar.

“Se a vaca estiver prenhe, já deve ser separada para o lote de vacas prenhes, que devem ter um manejo diferenciado, principalmente, na época de parto, pois acompanha-se a condição corporal durante o pré-parto, além de os animais serem mantidos em um piquete maternidade”, diz.

 

Caso a estação de monta não tenha gerado bons índices de prenhez, uma opção é fazer a contra-estação — no meio do ano —, que seria uma segunda estação de monta, com as vacas que não emprenharam na primeira. Normalmente, a estação de monta acontece entre outubro/novembro até janeiro e, às vezes, fevereiro. “Depende da fazenda e do período de chuvas, pois a estação começa juntamente ao período chuvoso”, afirma a pesquisadora.

Ela alerta que, em muitas fazendas, o diagnóstico é feito somente no período da desmama, que ocorre por volta de maio, resultando numa perda de tempo sobre a decisão do que fazer com o animal, atrasando os descartes e gerando prejuízos econômicos.

 

MÉTODOS

A diferença entre fazer o diagnóstico por palpação retal ou ultrassonografia é que o ultrassom possibilita mais informações, entre elas, a viabilidade fetal e a visualização de alteração de útero. Permite ainda diferenciar o conteúdo uterino para diagnosticar processos infecciosos, ou seja, possibilita o diagnóstico mais preciso da prenhez e da condição da vaca. “Por isso, o ideal é trabalhar com ultrassom que tem resultado mais rápido e eficiente. Outra vantagem é que, por volta de 60 dias de gestação, já é possível ver o sexo do feto”, finaliza Alessandra.

 

Assine e receba A Lavoura em sua casa. Email: assinealavoura@sna.agr.br; ou pelo site: sna.agr.br/capa-publicacoes

 

Fonte: Revista A Lavoura – Edição nº 702/2014

Boletim semanal de notícias da SNA por e-mail.

Cadastre-se para receber o boletim

Veja as últimas edições

 

Últimas notícias