Pets são considerados membros da família por 61% dos donos, diz pesquisa

26/09/2017|

Alimentação saudável, saúde e conforto para dormir são os principais cuidados dos donos com seus animais de estimação. A conclusão é resultado de uma pesquisa feita com internautas, divulgada na semana passada pelo Serviço de Proteção ao Crédito (SPC Brasil) e pela Confederação Nacional de Dirigentes Lojistas (CNDL). Segundo a enquete, somente 8% associam seus pets às despesas financeiras.

Ao todo foram entrevistadas 1.406 pessoas, sendo 796 para saber o percentual dos que possuíam animais de estimação e 610 para identificar as suas características. Em todas as capitais, 61% dos donos ou os responsáveis pela manutenção de animal de estimação revelaram que consideram seus pets como um membro da família. Para se ter uma ideia, os cuidados com bem-estar demandam, em média, R$ 189 mensais, valor que pode chegar a R$ 224 no caso de consumidores das classes A e B.

“O tratamento humanizado dos pets abre inúmeras oportunidades de negócios e evidencia a força de um mercado bilionário que deve se diferenciar ainda mais nos próximos anos”, afirma Roque Pellizzaro Junior, presidente do SPC Brasil.

Segundo ele, os cuidados especializados e a procura por produtos que atendem às características específicas dos animais têm aumentado. “A demanda por moda, estética, alimentação saudável, hospedagem, atendimento em casa, exercícios físicos e saúde comportamental deve aumentar nos próximos anos”, prevê Pellizzaro Junior.

Roque Pellizzaro Junior, presidente do SPC Brasil afirma que o tratamento humanizado dos pets abre inúmeras oportunidades de negócios e evidencia a força de um mercado bilionário.
 Foto: divulgação



HÁBITOS DE COMPRA


De acordo com o levantamento, 33% dos donos de pets informaram que na hora das compras os consumidores sempre optam por itens que vão além do básico e 21% nunca deixam de incluir algo para seus animais de estimação por falta de dinheiro.

Os produtos mais adquiridos para os cuidados com cães ou gatos são rações (88%), shampoos e condicionadores (57%), petiscos (52%), medicamentos e vitaminas (50%) e brinquedos (44%). Dos entrevistados, 52% dos informaram que só alimentam seus animais de estimação com rações da linha premium, em especial os entrevistados das classes A e B (62%). Além disso, 21% dos entrevistados informaram que oferecem comida natural, feitas especificamente para os cães e gatos.

Entre os serviços utilizados com mais frequência estão vacinas (63%), idas ao veterinário (44%) e banhos em pet shop (37%). Também merecem destaque os tratamentos estéticos (13%), os gastos com passeadores de cachorros (13%), além de tratamentos dentários (9%) contra obesidade (8%), acompanhamento comportamental (8%), adestramento (7%) e idas a creches (7%).

Em relação os produtos e serviços que gostariam de adquirir, mas não o fazem por falta de condições financeiras, os entrevistaram citaram planos de saúde (33%), serviços de spa (23%), assinaturas mensais de caixas com brinquedos (20%) e idas mais frequentes ao veterinário (20%).

PERFIL

Quanto ao perfil dos internautas donos de animais de estimação, a pesquisa revela que 50% são mulheres e 50% de homens; 54% pertencem às classes C, D e E e 46% às classes A e B. A maioria tem idade entre 25 e 44 anos (58%). Os que moram em casas correspondem a 77%, os que moram em apartamentos equivalem a 23% da amostra.
Os que compraram o animal de estimação somam 32% da amostra, 45% ganharam seu pet de presente e 42% resolveram adotar um animal. Neste caso, 27% pegaram o animal abandonado ou perdido na rua e 13% em uma instituição especializada.


O SETOR


Dados do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) indicam que há cerca de 132 milhões de animais estimação no Brasil, sendo mais de 52 milhões de cães, 38 milhões de aves, 22 milhões de felinos e 18 milhões de peixes. No ano passado, esse segmento faturou R$ 18,9 bilhões, no País, crescimento de 4,9% sobre o ano anterior.
De acordo com o Euromonitor International, o País responde por 5,14% do mercado mundial que apurou receita de US$ 105,3 bilhões, em 2016. Os Estados Unidos são o primeiro do ranking, com 42,2% da receita, seguido do Reino Unido (5,8%), Brasil, Alemanha (5,09%), Japão (4,9%), França (4,7%).

Conforme o presidente executivo da Abinpet, José Edson Galvão de França, o segmento de pet food lidera os negócios do setor, com 67,3% do faturamento, seguido por banho e tosa, com (16,8%); equipamentos, acessórios e produtos de beleza (8,1%) e produtos veterinários (7,8%). “O animal de estimação é considerado membro das famílias, e seu bem-estar garante é importante para os seus donos.”

Por Equipe SNA/SP