Monitor Ibre/FGV reafirma saída do País da recessão

19/09/2017|Tags: , , |

Para Considera, números de julho reafirmam que recessão chegou ao fim. Foto divulgação FGV/ Bianca Gens

A agropecuária apresentou expansão de 10,2% no mês de julho frente a igual período do ano passado. O número faz parte do Monitor do PIB-FGV, divulgado esta semana e que aponta crescimento de 1,3% do PIB do País nesta mesma comparação. O levantamento sinaliza ainda que a economia continuou crescendo de forma mais pulverizada, estendendo-se a setores de serviços e indústria.

A série dessazonalizada do PIB apresenta em julho crescimento de 0,1% quando comparado a junho e, no trimestre móvel maio-junho-julho, crescimento de 0,6% contra o trimestre fevereiro-março-abril.

“Quando observamos o resultado por setores, vemos que a agropecuária tem apresentando excelente desempenho. De acordo com a série histórica do Monitor, fechamos 2016 com retração de 6,8% na atividade agropecuária, mas, desde o primeiro trimestre deste ano, a reação tem vido muito forte”, analisa Claudio Considera, coordenador do Monitor do PIB-FGV

Outro ponto positivo sinalizado por Considera é a retomada das indústrias de extração mineral e transformação, que apresentaram, respectivamente, crescimento de 3,3% e 2,7% em julho na comparação com o sétimo mês do ano passado.

Os serviços também apresentam desempenho positivo em julho na comparação com igual período de 2016, com alta de 0,9%. No acumulado dos últimos doze meses finalizados em julho, a variação é um pouco maior: 1,3%.

Diante dos resultados verificados em julho, Considera diz que a equipe do Ibre/FGV já avalia revisar, para cima, sua projeção do PIB para este ano, hoje em 0,7%. O Monitor do PIB-FGV usa como fonte de informações dados oficiais do IBGE, promovendo desagregações que não são divulgadas pelo instituto, mas que são utilizados para análise da absorção doméstica e da demanda externa.

“Para mim está mais do que claro que a recessão chegou ao fim. Indicadores importantes, como o consumo das famílias, estão se recuperando”, defendo o economista.

O consumo das famílias citado por Considera apresentou crescimento de 1,9% no trimestre móvel maio a julho, comparativamente ao mesmo trimestre em 2016. Esta é a segunda variação positiva do indicador após registrar 28 trimestres móveis consecutivos de queda.

Por Equipe SNA/RJ