Especialistas em produção de aves e suínos vão debater riscos de doenças infecciosas

24/04/2017|Tags: |

Com o tema central “Uma Só Saúde”, do inglês One Health, AveSui 2017 pretende debater formas de ações preventivas às principais doenças infecciosas resultantes da interface entre animais, especialmente suínos e aves, humanos e ecossistemas. Foto: Divulgação

O conceito “Uma Só Saúde”, do inglês One Health, vem sendo trabalhado por organismos internacionais, como a Organização Mundial da Saúde (OMS) e a Organização Mundial de Saúde Animal (OIE), com o propósito de estabelecer formas de ações preventivas às principais doenças infecciosas resultantes da interface entre animais, especialmente suínos e aves, humanos e ecossistemas. Esse será o foco da AveSui 2017 – Feira da Indústria Latino-Americana de Aves e Suínos, que será realizada de 25 a 27 de abril, no CentroSul – Centro de Convenções de Florianópolis (SC).

“Existem muitas enfermidades que acometam animais e também os seres humanos, assim como o intercâmbio de agentes entre espécies pode levar à mutação de vírus e bactérias. No caso dos ecossistemas, alterações em determinados biomas podem ocasionar o surgimento ou reemergência de determinadas enfermidades. Há uma correlação muito forte entre essas três pilares, que precisa ser discutida”, destaca Humberto Marques, coordenador de Comunicação da AveSui 2017, em entrevista à equipe SNA/RJ.

De acordo com ele, esse é um debate muito atual e presente em todo o mundo, mas ainda incipiente no Brasil: “A AveSui entende ser seu papel central debater questões como essas, junto a todo o setor produtivo de aves e suínos. Por isso, não só irá dispor de painéis para a discussão do tema, o que inclui também o debate em torno da retirada dos antimicrobianos como melhoradores de desempenho das produções, como transformou esse tema no mote do evento desse ano: One Health – Uma só Saúde”.

 

INFLUENZA AVIÁRIA

Segundo Marques, a feira também debaterá o atual cenário de surtos de Influenza Aviária registrados em outros países (no Brasil, não houve nenhum caso).

“A Influenza Aviária é a enfermidade de maior impacto econômico para a avicultura no mundo. O Brasil é o único grande player avícola a não registrar casos de IA. A ocorrência de casos de gripe aviária em um país resulta no bloqueio das exportações, além de ser necessário o abate sanitário das aves infectadas e existentes no entorno”, comenta.

O coordenador de Comunicação da AveSui reforça ainda que os prejuízos são grandes: “O Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (Mapa) intensificou todas as medidas de biosseguridade com o intuito de evitar a entrada do vírus da Influenza Aviária no Brasil. Os produtores também têm intensificado seus cuidados, como a proibição de visitas às granjas e telamento de todos os aviários”.

Marques destaca que a AveSui 2017 reunirá representantes de toda a cadeia produtiva de aves (produtores, agroindústria, governo, etc.), “criando uma oportunidade única para o debate de questões relacionadas à biosseguridade, com foco na prevenção da entrada de agentes patogênicos nos sistemas produtivos”.

“É muito importante que o Brasil mantenha seu atual status sanitário, permitindo que amplie ainda mais sua presença no comércio internacional de carnes. No caso de aves, nosso país já é o maior exportador, embarcando seu produto para mais de 160 nações.”

 

OPERAÇÃO CARNE FRACA

A Operação Carne Fraca, deflagrada no dia 17 de março pela Polícia Federal, também atingiu o setor de aves e suínos. Por isso, o assunto fará parte de alguns debates durante a AveSui 2017.

“A qualidade da carne brasileira é reconhecida no mundo todo. O país recebe, anualmente, milhares de missões internacionais, realizando inspeções nos frigoríficos dos mais diferentes Estados. O Serviço de Inspeção Federal (SIF) também é um organismo de extrema confiança”, avalia Marques.

Em sua opinião, “o que ocorreu no caso da Operação Carne Fraca é pontual e já vem sendo esclarecido, com os culpados sendo punidos de acordo com a lei”. “No entanto, a forma de divulgação da operação terminou por colocar todo o setor produtivo de carnes no mesmo balaio”, critica.

A AveSui 2017 terá uma mesa-redonda específica para debater essa questão, no dia 26 de abril, com representantes do setor produtivo e do governo federal, segundo o coordenador de Comunicação da feira.

“É importante reforçar a qualidade da carne brasileira, mas também verificar e discutir o que precisa ser melhorado, seja na inspeção ou nos processos de industrialização. E a AveSui irá disponibilizar o espaço específico para esse debate”, reforça Marques.

 

“É importante reforçar a qualidade da carne brasileira, mas também verificar e discutir o que precisa ser melhorado, seja na inspeção ou nos processos de industrialização. E a AveSui irá disponibilizar o espaço específico para esse debate”, reforça Humberto Marques, coordenador de Comunicação da Feira da Indústria Latino-Americana de Aves e Suínos. Foto: Divulgação

Para mais informações sobre todo o conteúdo programático da Feira da Indústria Latino-Americana de Aves e Suínos, acesse www.avesui.com. O Centro de Convenções de Florianópolis (CentroSul) fica na Avenida Gustavo Richard nº 850, Baía Sul, no centro de Florianópolis (SC).

 

CONGRESSO DE ZOOTECNIA DE PRECISÃO

Simultaneamente à AveSui 2017, no mesmo espaço, também será realizado o 2º Congresso de Zootecnia de Precisão, no dia 25 de abril. Organizado pelo Instituto Oswaldo Gessulli (IOG) e apoio, entre outros, de A Lavoura e Animal Business Brasil, revistas bimestrais veiculadas pela Sociedade Nacional de Agricultura (SNA), o encontro objetiva difundir novos conhecimentos, pesquisas de ponta, além de debater avanços proporcionados pelo uso de tecnologias de zootecnia de precisão nos sistemas de produção animal.

De acordo com a organização, “a zootecnia de precisão é uma área de conhecimento que tem crescido com grande intensidade, nos últimos anos”.

“É uma ferramenta chave na busca por uma produção eficiente via soluções de gestão com base em tecnologias da engenharia de processos, principalmente por meio do uso de sensores para monitoramento dos animais e das características bioclimáticas do ambiente de criação.”

Para mais informações, acesse www.zootecniaprecisao.com.br.

 

SEMINÁRIO TÉCNICO SOBRE SUINOCULTURA

Também simultaneamente à AveSui, a Embrapa Suínos e Aves realizará o Seminário Técnico Avesui 2017 de Gestação Coletiva de Matrizes Suínas, no dia 26 de abril, que será dividido em dois blocos.

No primeiro, das 14 às 15h30, moderado por Costa, serão apresentados os resultados do protocolo de intenções firmado entre Associação Brasileira de Criadores de Suínos (ABCS) e Ministério da Agricultura, para a implementação das boas práticas na suinocultura. Ainda serão debatidos o cenário nacional e internacional da gestação coletiva, bem como seus desafios de manejo reprodutivo e nutricional.

No segundo bloco, das 15h30 às 17h40, moderado por Charli Ludtke, da Coordenação de Agregação de Valor da Secretaria de Mobilidade Social, do Produtor Rural e do Cooperativismo do Mapa, as empresas de equipamentos apresentarão seus resultados no sistema de baias coletivas para matrizes suínas.

As inscrições são gratuitas e podem ser feitas pelo e-mail comissao.bea@agricultura.gov.br. O evento tem ainda a parceria da ABCS, na organização, e o apoio da Associação Catarinense de Criadores de Suínos (ACCS). Leia mais sobre o Seminário Técnico Avesui 2017 de Gestação Coletiva de Matrizes Suínas em sna.agr.br/?p=47527.

 

Por equipe SNA/RJ