Debate sobre agronegócio reúne lideranças do setor em Porto Alegre

21/09/2017|

Francisco Turra, presidente da ABPA; Karim Miskulin, jornalista; Odacir Klein, presidente do BRDE, e Antonio Alvarenga, presidente da SNA. Foto: Marcos Nagelstein/Agência Preview

 

Líderes do agronegócio brasileiro estiveram reunidos na segunda-feira (18/9), em Porto Alegre, no evento “O Brasil de Ideias”, organizado pela revista Voto. Participaram do encontro Antonio Alvarenga, presidente da Sociedade Nacional de Agricultura (SNA); Francisco Turra, presidente da Associação Brasileira de Proteína Animal (ABPA) e Odacir Klein, presidente do Banco Regional de Desenvolvimento (BRDE).

Na abertura do evento, o presidente do BRDE, Odacir Klein, falou sobre o trabalho realizado pelo banco nos três estados da região Sul, destacando o fomento do setor agrícola, por meio da participação em grupos de trabalho e na viabilização de linhas de crédito diretas do BNDES.

“No atual sistema tributário e de divisão de recursos e impostos, ainda é necessária a ferramenta de incentivo fiscal, visto que os estados travam uma ‘guerra’ para atrair empresas, disse Klein. Ele também ressaltou que o BRDE realiza um trabalho de consultoria com seus clientes, e no segmento específico de proteína tem priorizado a inovação. Além disso, Klein afirmou que o investimento estratégico para o agro está na área de armazenagem da produção.

Ganho de produtividade foi o ponto mais abordado pelo presidente da SNA, Antônio Alvarenga, durante o encontro. Ele comentou que a infraestrutura representa um dos gargalos do setor e que é necessário mais investimento para melhorar o escoamento da produção. Alvarenga também destacou a necessidade de desburocratização do modelo de financiamento em infraestrutura e de busca por investimentos públicos/privados, para atendimento da demanda no tempo necessário. “O Brasil está no caminho do sucesso, mas apenas na metade deste percurso”, declarou.

Já o presidente da ABPA, Francisco Turra, apresentou dados do setor e seu crescimento. Lembrou que 15% do PIB Brasileiro é proveniente do agronegócio e que, mesmo em meio à crise política, o país conseguiu manter a produtividade. “O comércio mundial, mesmo após a operação Carne Fraca, passou a enxergar o Brasil como um país capaz de satisfazer a demanda”.

Turra mencionou ainda o trabalho de relacionamento que é feito junto a jornalistas do exterior, a exemplo dos 53 que estiveram reunidos na Expointer de 2017. Ao final de sua apresentação, o ex-ministro disse que “o mundo precisa desesperadamente do Brasil” no que se refere a alimentos e agronegócio. “O clima, a possibilidade de duas a três safras por ano, o investimento em inovação e tecnologia, além do controle de gripes e febres nos coloca em posição diferenciada do restante do mundo”, concluiu.

Entre os convidados do evento estiveram presentes representantes do agronegócio brasileiro, além de secretários de Estado, deputados e lideranças empresariais.

 

Por equipe SNA/Rio, com informações da revista Voto