Conab estima safra de grãos 2016/2017 em 238,7 milhões de toneladas

Santana atribui resultado aos investimentos em produtividade e a fatores climáticos

A Companhia Nacional de Abastecimento (Conab) aumentou em 500 mil toneladas sua projeção para a safra de grãos 2016/17, que passou a 238,7 milhões de toneladas. Esse volume representa crescimento de 27,9% em relação à safra 2015/16, ou seja, 52,1 milhões de toneladas a mais. Os números fazem parte do Levantamento de Safra, divulgado nesta terça-feira (12).

O acompanhamento mensal da Conab mostrou também que a área plantada alcançou 60,9 milhões de hectares, expansão de 4,4% na comparação com a safra 2015/16.

A empresa pública tem revisado positivamente suas projeções nos últimos levantamentos. “O aumento da produção agrícola que estamos observando nesta safra é resultado dos investimentos feitos pelos produtores brasileiros em tecnologia e produtividade, somados a um período climático muito apropriado para a agricultura. Apesar de o Brasil ser um país com dimensões continentais, as precipitações, por exemplo, ocorrem na época de plantio e não aconteceram no período de colheita”, analisa o gerente de Levantamento e Avaliações de Safra da Conab, Cleverton Santana.

De acordo com o levantamento, um dos destaques fica por conta da produção do milho primeira safra, que foi de 30,46 milhões de toneladas, apresentando crescimento de 18,3% em relação à safra anterior. A colheita do milho segunda safra está em finalização, com estimativa de produção total de 67,25 milhões de t.

Também houve expansão na safra de soja, grão mais produzido no país, que cresceu 19,5% na comparação com a safra anterior, chegando a 114 milhões de toneladas. Na safra 15/16 o volume foi de 68,4 milhões de toneladas.

Já o trigo registrou redução de 9,5% na área semeada. Sua produção deve chegar a 5,19 milhões de t.

“Apesar do recuo, o resultado está dentro de uma boa média de produtividade, uma vez que tivemos um resultado excepcional na produção do trigo no ano passado. A produção foi muito grande e restaram estoques, o que levou os produtores a reduzirem as áreas plantadas nesta safra”, explica Santana.

Para o algodão, as condições climáticas proporcionam uma boa safra para este ano. A colheita está próxima do término, com produção de 1,53 milhão de t de pluma e 2,3 milhões de toneladas de caroço. No caso do arroz, condições climáticas favoráveis ao longo de todo o ciclo resultaram em 12,33 milhões de t de produção.

O feijão primeira safra tem produção de 1,36 milhão de toneladas. Na segunda safra de feijão, a produção chegou a 1,2 milhão de toneladas. A colheita da terceira safra está em andamento, com previsão de produção de 836,3 mil t.

Equipe SNA/Rio