Com chegada da primavera, A Lavoura destaca: ‘Orquídea, a flor que virou paixão’

22/09/2017|

Evolução das pesquisas sobre manejo e o plantio em estufas reduzem custos e popularizam a orquídea. Foto: Divulgação A Lavoura – Edição nº 692/2012

Sofisticada e rara, a orquídea está ganhando maior espaço na decoração das casas de pessoas que, antes, não poderiam pagar por esse luxo. A evolução das pesquisas sobre o manejo das espécies e o plantio em estufas, além de diminuírem os custos, ampliaram as possibilidades de plantio.

O resultado foi a popularização dessa flor que, há milênios, era chamada de “perfume do reis”, na China. Esse é o destaque da Revista A Lavoura – Edição nº 692/2012 em comemoração à chegada da primavera, às 17h02 do dia 22 de setembro de 2017.

De acordo com a Associação de Comerciantes da Ceasa Grande Rio (Acegri), conforme reportagem publicada em 2012, na época, mais de 34 mil espécies estavam catalogadas no mundo, no entanto, as variedades ultrapassavam a marca de 65 mil, por causa dos resultados de diferentes cruzamentos.

No Brasil, grande parte é cultivada em São Paulo e em Friburgo, região Serrana do Rio de Janeiro. Para ter belas orquídeas em casa, basta tomar alguns cuidados no cultivo, enumerados abaixo:

1 – Como as orquídeas florescem apenas uma ou duas vezes por ano, é interessante possuir várias espécies com diferentes ciclos de floração. Isso aumenta as chances de ter sempre alguma planta florida em casa.

2 – Não colete ou adquira plantas oriundas das matas, pois as orquídeas já foram bastante dilapidadas pelos mateiros e colecionadores gananciosos. Procure comprá-las de empresas produtoras de mudas ou de orquidófilos.

3 – Para irrigar, mantenha o vaso úmido, jamais encharcado. É mais fácil matar uma orquídea por excesso do que por falta d’água. Não colocar pratinho com água debaixo do vaso, pois as raízes poderão apodrecer. Molhe abundantemente duas ou três vezes por semana, deixando a água escorrer totalmente. Nos outros dias, basta vaporizar as folhas de manhã cedo ou no final da tarde, quando a planta não estiver sob o sol.

4 – Instale suas plantas em locais onde elas possam ser banhadas pelo sol no horário da manhã, até 9 horas, ou no final da tarde, depois das 16 horas. Se a planta não tomar sol, ela não vai florescer. As orquídeas podem ser fixadas também no tronco de árvores, desde que a sombra não seja muito densa. Nesse caso, quando florescerem, não poderão ser levadas para dentro de casa. Aliás, é recomendável manter os vasos, o máximo possível, na mesma posição e local.

5 – As orquídeas necessitam de locais arejados. Evitar, porém, a ventilação muito forte.

6 – Utilize adubos foliares (líquidos) que se encontram na seção de jardinagem de todos os supermercados. O ideal é adicionar algumas gotas à água com que será feita a vaporização, utilizando pequenos pulverizadores. Procure molhar a parte inferior das folhas de sua orquídea, local onde se encontram os estômatos, que absorvem água e nutrientes.

PRINCIPAIS GÊNEROS DE ORQUÍDEAS

* Dendrobium: É o tipo mais popular e a mais fácil de ser encontrado, com várias pequeninas flores que nascem no mesmo ramo, dando a impressão de um galho florido. É a espécie com preço mais acessível.

* Paphiopedilum: É o gênero mais caro por ser o mais apreciado pelos especialistas da planta, denominados “orquidófilos”. Suas folhas alongadas saem da base da planta e formam um leque, também conhecido como fascículo.

* Cattleya: Possuem flores grandes, que podem chegar a até 20 centímetros de diâmetro. As cores mais abundantes em suas pétalas são o branco, o rosa e o amarelo. Embora só floresça uma vez ao ano, como a maioria das orquídeas, a flor costuma durar 15 dias, tempo considerado longo pelos especialistas.

* Vanilla: É o gênero que compreende as orquídeas utilizadas na extração de baunilha. Este fruto é retirado de vagens, e o natural é bem mais suave do que o vendido nos mercados, que costuma ser artificial. O Brasil possui vários exemplares deste tipo, que é originário da América Central.

* Phalaenopsis: Também conhecida como ‘orquídea borboleta’ ou ‘mariposa’, a espécie é uma das mais vendidas e apreciadas pelos consumidores, pois suas flores podem durar até 90 dias. São indicadas para cultivo em apartamentos, uma vez que precisam estar protegidas de pleno sol.

* Dracula simia: Essa espécie tem mesmo cara de macaco, seu nome popular. Nativa das matas do Equador e do Peru, a raridade cresce em áreas de difícil acesso, com altitude entre mil e dois mil metros.

Leia mais sobre orquídeas acessando a edição 692/2012 da Revista A Lavoura (páginas 42 a 48).

Assine nossa publicação enviando um e-mail para assinealavoura@sna.agr.br ou acesse www.sna.agr.br/publicacoes!