Brasil inicia ano com exportação maior de soja, milho e café

01/02/2018|

O Brasil iniciou o ano com exportações maiores de soja, milho e café, enquanto as de açúcar diminuíram. Os dados foram divulgados nesta quinta-feira pela Secretaria de Comércio Exterior (Secex), do Ministério da Indústria, Comércio Exterior e Serviços.

Os embarques do milho saltaram 108,3% em janeiro, para 3.02 milhões de toneladas, enquanto os da soja aumentaram 71,5%, para 1.56 milhão de toneladas. As comparações são referentes a janeiro de 2017. As vendas externas de ambas as commodities são seguidas por exportações fortes desde o fim do ano passado.

Os embarques de soja permanecem firmes até agora, meses após a colheita do ciclo 2016/17, em razão da produção recorde vista em tal temporada, de 114 milhões de toneladas, segundo a Companhia Nacional de Abastecimento (Conab).

Isso garantiu oferta suficiente para que os produtores do país rivalizassem, inclusive, com os norte-americanos no segundo semestre, em uma janela de negócios geralmente dominada pelos Estados Unidos.

A colheita da nova safra (2017/18) está apenas começando, mas as empresas contaram com estoques da temporada anterior para impulsionar os embarques em janeiro.

Já as vendas de milho demoraram a engrenar por causa da competição com a soja nos portos do Brasil e também em razão dos preços considerados pouco atrativos por produtores. Os embarques no ano passado, apesar da safra recorde, ficaram abaixo das projeções iniciais.

Café e açúcar

Outro produto cujos embarques demoraram a ganhar ritmo foi o café, também em virtude de preços baixos, tanto que o desempenho de 2017 ficou aquém do esperado pelo Conselho dos Exportadores de Café do Brasil (Cecafé).

Em janeiro, as exportações de café verde somaram 2.61 milhões de sacas, contra 2.46 milhões de sacas um ano atrás. A quantidade também superou as 2.58 milhões de sacas exportadas em dezembro.

Já as vendas de açúcar bruto diminuíram 28,5% no mês passado, para 1.27 milhão de toneladas. Maior produtor e exportador de açúcar do mundo, o Brasil está atualmente em entressafra de cana, o que por si só já reduz a oferta para venda ao exterior.

Neste ano, porém, o centro-sul, principal região produtora do país, registrou uma segunda metade de safra marcada por maior fabricação de etanol, dada a competitividade do biocombustível em relação à gasolina.

 

Fonte: Reuters

Compartilhe nas redes sociais!