Apex quer ampliar exportações do agro e melhorar imagem do setor

21/12/2017|

‘O objetivo é trabalhar a imagem do agro no exterior e aumentar as vendas externas de frutas’, afirma Roberto Jaguaribe, presidente da Apex. Foto: divulgação

Desde 2016, o agronegócio está no radar da Agência de Promoção de Exportações e Investimentos (Apex-Brasil), responsável pelo fomento às exportações brasileiras. No próximo ano, o órgão dará maior atenção a esse setor. Tanto que, em dezembro, foram lançados dois novos projetos: o Abrafrutas e o Programa de Imagem e Acesso a Mercados do Agronegócio Brasileiro (Pam Agro). “O objetivo é trabalhar a imagem do setor no exterior e aumentar as vendas externas do agro”, afirma Roberto Jaguaribe, presidente da Apex.

O Abrafrutas, iniciativa da Apex, da Confederação da Agricultura e Pecuária do Brasil (CNA) e da Associação Brasileira dos Produtores Exportadores de Frutas e Derivados, terá, em 2018 e 2019, missões de negócios em importantes feiras do setor, na Europa, Oriente Médio e Ásia. “Com isso, esperamos que as exportações de frutas brasileiras alcancem US$ 1 bilhão anual em 2019, ante US$ 870 milhões, atualmente”, prevê Jaguaribe.

Já o Pam Agro, vai incentivar o comércio com os mercados asiáticos, em especial com a China. Um dos focos é o suprimento da demanda em proteína animal, de açúcar e de álcool. Além do Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (Mapa) e da CNA, esse projeto conta com a participação da iniciativa privada, através da Associação Brasileira das Indústrias Exportadoras de Carnes (Abiec) e da Associação Brasileira de Proteína Animal (ABPA).

“Nosso objetivo é fortalecer e abrir mercados na Ásia, onde a demanda de alimentos cresce de forma acelerada”, diz Jaguaribe. Segundo ele, estão previstos recursos de R$ 7,5 milhões para investir em imagem e para aumentar a participação dos produtos brasileiros no mercado externo.

ESFORÇO CONJUNTO

A Apex também está fazendo um esforço conjunto com órgãos relevantes do governo federal no sentido de trazer investidores, especialmente para processos de concessões dentro das parcerias para investimento.  “Nosso objetivo é atrair investimentos para infraestrutura, pois a agricultura brasileira é o segmento mais afetado pelas lacunas de logística e de transporte. Ou seja, os recursos vão beneficiar vai diretamente o setor agrícola produtivo no Brasil”, explica.

“Também não podemos nos esquecer do investimento em pesquisa, o mais importante de todos, e que elevou a agricultura brasileira ao patamar em que ela se encontra hoje. Agricultura é pesquisa, tecnologia, investimento e capacitação.” 

Atualmente, a Apex-Brasil possui hoje 18 projetos setoriais de promoção de produtos do agronegócio e, para 2018, o órgão prevê a realização de 130 ações exclusivas relacionadas a esse setor.

Por Equipe SNA/SP

Compartilhe nas redes sociais!