Abag e IBGE anunciam início do Censo Agro 2017

Publicado em 9/08/2017

Roberto Olinto (IBGE) e Luiz Carlos Corrêa Carvalho (Abag), assinam termo de compromisso entre as entidades para a implementação de ações conjuntas com vistas à divulgação do Censo 2017

Durante o 16º Congresso Brasileiro do Agronegócio, promovido pela Associação Brasileira do Agronegócio (Abag), na última segunda-feira (7/8), na capital paulista, o presidente do IBGE, Roberto Olinto, e Luiz Carlos Corrêa Carvalho, presidente da Abag e membro da Academia Nacional de Agricultura, da SNA, assinaram um termo de compromisso entre as duas entidades para a implementação de ações conjuntas com vistas à divulgação do Censo Agro 2017.

“Cruzar informações coletadas pelo Cadastro Ambiental Rural (CAR) para criar um banco de dados integrado sobre o meio rural será um dos grandes benefícios do censo agropecuário brasileiro”, acredita Caio Carvalho.

A coleta dos dados começará no dia 1º de outubro e se estenderá até fevereiro de 2018. De acordo com o executivo, para a realização de visitas em 5,3 milhões de estabelecimentos rurais em 5.570 municípios, o orçamento ultrapassa R$ 700 milhões.

“Porém, esse orçamento é 50% menor do que o ideal. Com isso, a realização do censo agropecuário não será divulgada na mídia”, informou o presidente do IBGE.

Para o presidente da Abag, Caio Carvalho, cruzar informações coletadas pelo Cadastro Ambiental Rural (CAR) para criar um banco de dados integrado sobre o meio rural será um dos grandes benefícios do censo agropecuário brasileiro

“O último levantamento foi feito em 2006, o que reforça a importância de desenvolvermos um trabalho intenso, juntamente com o IBGE, no intuito de otimizarmos os resultados do censo”, acrescenta Caio Carvalho.

Segundo o presidente do IBGE, nesta edição serão utilizadas novas tecnologias, mecanismos de modernização e integração que otimizam os resultados do Censo.

“O uso de dados georreferencias e geoespacias, que farão parte do processo, tendem a facilitar a coleta das informações, além de contribuir para a elaboração dos resultados”, avalia Olinto.

Segundo ele, o monitoramento feito pelos agentes será realizado via computador e as informações coletadas poderão ser cruzadas, gerando mapas e outros dados que podem ser acessados e utilizados em amostragens futuras.

DADOS DE PESQUISA


Segundo Roberto Olinto, presidente do IBGE, mesmo com o orçamento reduzido e a não divulgação na mídia, o trabalho será intenso para conscientizar os cidadãos e as instituições da importância em participar do Censo

Durante a realização do censo 2017, serão coletados dados sobre agricultura, extração vegetal, silvicultura, criação de animais de grande e pequeno portes, aquicultura, criação de abelhas, bicho-da-seda, beneficiamento e a transformação de produtos agropecuários.

Segundo Olinto, para realizar uma operação de porte, o IBGE precisa do apoio de todos e é imprescindível que o público entenda a importância de receber o recenseador e responder ao questionário da pesquisa corretamente.

“Mesmo com o orçamento reduzido e a não divulgação na mídia, estamos trabalhando intensamente para conscientizar os cidadãos e as instituições da importância em participar do Censo”, arrematou Olinto.

Por Equipe SNA/SP

Boletim semanal de notícias da SNA por e-mail.

Cadastre-se para receber o boletim

Veja as últimas edições

 

Últimas notícias