A Lavoura anuncia: faltam dois dias para o 6º Fórum Nacional de Agronegócios

28/09/2017|

O 6º Fórum Nacional de Agronegócios terá como tema central a sucessão de gerações profissionais dentro do setor e os avanços tecnológicos que deverão ser incorporados pelos novos representantes do agronegócio nacional. Promovido pelo LIDE – Grupo de Líderes Empresariais e pelo LIDE Agronegócios, o evento será realizado no sábado, 30 de setembro, no Hotel Royal Palm Plaza, em Campinas (SP).

Na ocasião, várias personalidades do agro, em várias categorias, vão receber uma premiação. A homenagem especial será destinada ao presidente da Sociedade Nacional de Agricultura (SNA), Antonio Alvarenga.

A proposta dos organizadores do Fórum é levar ao público discussões sobre o futuro do agronegócio. É esperado que o próximo passo na evolução do setor seja a incorporação de recursos digitais e da internet, o que deve acelerar o ritmo da automação de processos produtivos e já é chamado por alguns especialistas de agricultura 4.0, referência à quarta fase de industrialização que também incorporou tais recursos.

AGRICULTURA DE PRECISÃO

Na visão de Roberto Rodrigues, que foi ministro da agricultura e é presidente do LIDE Agronegócios, a agricultura de precisão será mais produtiva e passará cada vez mais a adotar medidas de sustentabilidade, outra importante pauta contemporânea; Rodrigues acredita que farão parte do cotidiano o uso de aplicativos e outras funções digitais que irão colocar a gestão produtiva na palma da mão de agricultores e pecuaristas. Ainda alerta que serão importantes os recursos de rastreabilidade e monitoramento por meio de GPS e drones, além da comunicação integrada entre máquinas.

“Precisaremos de gente altamente qualificada para incorporar esta extraordinária revolução e pessoas jovens, mais conectadas que os gestores tradicionais, que conhecem menos da nova era digital”, acrescenta Rodrigues.

Durante o fórum, será relatado por palestrantes o modo como se deu a sucessão de novos gestores e colaboradores em conhecidas empresas do setor e também em grandes entidades do agronegócio.

TRANSIÇÃO POSITIVA DE GERAÇÕES

Para o executivo, a transição positiva entre gerações e a atualização tecnológica são elementos necessários para que o agronegócio nacional continue forte na economia brasileira. Em 2017, o PIB do setor registrou alta de 13% no primeiro trimestre, o maior crescimento em mais de 20 anos, puxado pela safra recorde.

O ex-ministro da Agricultura aponta que recentes configurações no mercado mundial podem aumentar o potencial de exportação do Brasil em possíveis parcerias com a Índia, economia que cresce em ritmo acelerado, e com a China.

Rodrigues ainda considera essencial que as entidades de classe que representam as cadeias produtivas do agronegócio devem ter estatutos que viabilizem sucessão democrática, com troca de lideranças após períodos não muitos longos de mandatos.

O argumento é que a renovação de lideranças também se liga às mudanças estruturais do agro no país e no mundo, e que exigem pessoal sempre muito atualizado com os novos e desafiadores cenários globais.

Fonte: LIDE com edição d’A Lavoura