A força que vem do Sul

Publicado em 14/03/2017

Cooperativas do Rio Grande do Sul se destacam pela produção orgânica. Produtores que apostaram na profissionalização, hoje colhem os frutos: a conquista de novos mercados. Foto: Divulgação

“Cada ano que passa, o mercado aumenta e novos consumidores buscam uma vida mais saudável”, afirma Ivandro Remus, presidente da Agrofamília (Associação das Agroindústrias Familiares do RS). A cooperativa reúne 27 agroindústrias que têm suas bases fincadas na agricultura familiar.

Ele também é proprietário da marca Velho Alambique, produtora de cachaça orgânica. “Desde a lavoura, passando pela produção, até a comercialização, somos cinco pessoas envolvidas em todo o processo”.

 

CONVERSÃO ORGÂNICA

A história de Ivandro com os orgânicos começou por acaso. “Tínhamos uma produção convencional de cana-de-açúcar, porém, uma parte dela nós adubávamos com compostagem orgânica. Houve, então, uma seca muito severa, que durou cerca de um ano. Percebemos que a cana que recebia adubo
orgânico teve uma resistência muito maior do que a que recebia adubação química”.

Desde então, Ivandro e sua família decidiram converter toda a produção em orgânica. E o crescimento da empresa é de 20% ao ano, com forte presença no Rio de Janeiro, São Paulo e Brasília. E até mesmo em lojas de aeroportos. “É um ótimo ponto para ganhar visibilidade. O turista já conhece a boa cachaça brasileira.”, brinca Ivandro.

 

ESPUMANTES E VINHOS

Ainda no ramo das bebidas, outra empresa tem destaque. Sediada em Garibaldi, capital nacional dos espumantes, a Coopeg envolve 42 famílias no cultivo de uvas orgânicas e no envasamento de vinhos e espumantes.

Enquanto serve uma prova do seu espumante brut, que não deve em nada em sabor e leveza aos importados, Ari Baroto explica um pouco do processo de fabricação. “Cada unidade leva dois anos para ficar pronta. A fermentação é feita na própria garrafa, o que garante a qualidade do produto, além, é claro, da qualidade das uvas”. Ele também revela que já foi sondado por estrangeiros para exportar o seu produto.

 

OPORTUNIDADE DE MERCADO

No município de Picada Café (RS), 35 associados fazem movimentar a Coopernatural, parceira da rede OrganicsNet — projeto da SNA, com apoio do Sebrae. Ivete Karling, uma das responsáveis da cooperativa, revela o segredo do sucesso da empresa que, desde 2001, produz frutas, geleias, sucos, doces e vinhos orgânicos. “Procuramos sempre inovar, lançando novos produtos”. Um dos lançamentos desse ano foi o vinho seco Moscato, meia garrafa. “Nosso objetivo é crescer, conseguir novos associados, mas sem perder a qualidade”.

Se o Rio Grande do Sul é destaque na produção de orgânicos, o mesmo não se pode dizer no consumo. Segundo Ivete, 95% da produção vai para fora do estado, principalmente para o Sudeste. Parece que os gaúchos ainda não descobriram as vantagens de se consumir produtos orgânicos.

Quem também percebe este movimento é Maria Helena Rocha, gerente de produção da Novo Citrus, também parceira da rede OrganicsNet. A maior parte da produção das 30 famílias que trabalham para a empresa vai para fora do Rio Grande do Sul. “Participamos de cinco feiras ecológicas em Porto Alegre, mas nosso maior mercado são as redes de supermercados e lojas especializadas em outras regiões do país”, afirma Maria Helena.

 

Assine e receba A Lavoura em sua casa. Email: assinealavoura@sna.agr.br; ou pelo site: sna.agr.br/capa-publicacoes

 

Fonte: Revista A Lavoura – Edição nº 698/2013

Boletim semanal de notícias da SNA por e-mail.

Cadastre-se para receber o boletim

Veja as últimas edições

 

Últimas notícias